major eléctrico


domingo, abril 02, 2006
--------------------------------------------------------------------

Compras 01.04.2006

Lil Louis & The World «I Called U» 12" FFRR 1989
Dois temas lá em cima com os melhores da constelação de Chicago, ambos baseados em spoken word. «I Called U» em duas versões com diferenças no tom de voz, groove de piano, baixo bouncy e discussão sobre deixar e recomeçar; «Blackout», no lado B, também é dominado pela voz + cadência «French Kiss», discurso divino com o pitch em baixo a tornar as coisas mais sérias. Arrepiante de tão bom. Serviço HdB.
D.F.X. «Relax Your Body» 12" Zyx 1989
De todos os sítios possíveis, foi escutado pela primeira vez em «My Parade» de Ellen Allien. Monólogo típico da comunhão só possível nas pistas de dança a terminar com referência explícita a Afrika Bambaataa, instrumental New Beat, piano a intensificar o drama. Versão mais completa e versão mais despida. Tudo muito bom!. Serviço HdB.
Lisa «Rocket To Your Heart» 12" BMC 1983
Hi-NRG girlie mediano, demasiado rápido para o seu próprio bem; lado B com uma versão de «Sex Dance» mais carregada de tecnologia que o original. Gira a espécie de imitação que Lisa faz de David Byrne em «Psycho Killer».
Lisa «Sex Dance» 12" Moby Dick/Rádio Triunfo 1983
«Sex Dance» razoavelmente como descrito acima, um dos hits Euro de Lisa; «I Thank You» no lado B é a versão longa, boas premissas mas o refrão é muito mau. Nenhuma das faixas chega ao pé de «Mandatory Love», a melhor canção de Lisa.
Sharon Mitchell «Handsome Stranger» 12" Malaco 1984
A guitarra espanhola que aparece só para pontuar a palavra "Mexico" na letra é totalmente desnecessária e quase estraga o efeito de um grande instrumental freestyle (entre Disco, Electro e Funk latino). Lado vocal menos interessante, como era frequente.
Space «The Best Of Space» LP Vogue/Arnaldo Trindade 198?
Equívoco cósmico que produziu «Magic Fly» (1977), óptimo clássico synth-disco, mas muito mais para esquecer. Em 78 «Just Blue», tentativa de seguir o êxito do ano anterior, ouvida até à exaustão em documentários e anúncios de TV (como «Magic Fly», aliás). «On The Air» aproveita Bach, o costume.




1 Comentários:

em 5:30 da tarde, Anonymous funkulinho disse...

Maaare mia!Fico entristecido Major Electrico!Nem uma unica perola de P-Funk!Nem uma unica perola do Rufus Thomas!Ao que este mundo chegou!(vo rezar ao Santo Bootsy pa perdoar os pecadores)

 

Enviar um comentário

<< de volta ao início