major eléctrico


quinta-feira, junho 08, 2006
--------------------------------------------------------------------

Compras 05.06.2006

Mother (F) «Hot Wax/Welcome Aboard» 12" BMC 1982
«Hot Wax» é Disco com todas as letras: cordas e metais em proeminência dispensam a voz para fazerem um épico de médio interesse; o lado B, no entanto, é o instrumental de «Welcome Aboard», um número midtempo com ambieência matinal, um toque apenas de electro-pop e tudo o resto de ilha no Mediterrâneo. Incrível. Não faz falta SÓ até ser ouvido, mas se vão procurar, procurem primeiro a versão vocal.
JKD Band «Dragon Power» LP Satril/Gira 1981
Quase nada de verdadeiro interesse aqui, um ou outro break (nunca suficientemente longos para valerem por si) e uma aproximação porreira a «Kung Fu Fighting» de Carl Douglas em «Mellow Terrain». O disco é um tributo a Bruce Lee, a capa é o próprio a pairar por cima do mar numa pintura kitsch que o Pedro Tenreiro descreveu tão bem que quando o disco me apareceu à frente soube imediatamente o que era. Para além do mais, tem o valor afectivo de conter o primeiro re-edit que ele editou como Dancin' Days para a Noid, em 2000.
Steve Bender «The Final Thing» 7" Decca 1977
A produção é de Pete Belotte, que trabalhou com Giorgio Moroder em quase todos os seus hits («I Feel Love» e «From Here To Eternity», por ex). Bender foi um one hit wonder na cena Disco precisamente com «The Final Thing» (existe uma versão 12" com o instrumental), uma canção downtempo sexy na linha de «Don't Turn It Off» de Hot Chocolate. O seu fascínio por Rock passa bem na vocalização e é isso que torna a canção especial.
The Flying Lizards «Dizzy Miss Lizzie» 7" Statik 1984
Período tardio dos Flying Lizards, o grupo de brincadeira séria de David Cunningham. Este single aparece em «Top Ten», álbum de versões, como aliás era normal no grupo. Versão com voz monocórdica, como também era normal, afastando a emotividade da pop e transformando-a em objecto de arte revertendo lucros para o cérebro e não para o coração. Mas isso de alguma forma era bom, embora «Dizzie Miss Lizzie» não esteja sequer entre as minhas 5 favoritas de Flying Lizards. Lado B instrumental com percussão metálica mais notória e tudo mais schizo, também.
Logic System «Domino Dance» 7" picture disc EMI 1982
Pop electrónica produzida no Japão em 82 não parece novidade mas tem sempre um contexto super apelativo. Logic System, soube HOJE, foram usados por Harvey na «Sarcastic Mix» mas não é nenhuma destas faixas senão teria gritado ouro. «Domino Dance» não é bem a pop que se espera, está na direcção de «Popcorn» de Gershon Kingsley mas consegue não ser extravagante. No lado B, «Be Yourself» é puro cocktail lounge, nem sequer soa electrónico, parece mais algo que Pizzicato Five fariam num domingo à tarde.
MC Hammer «U Can't Touch This» 7" Capitol 1990
Sem comentários. Instrumental no lado B, mais liberdade para aquela linha de baixo.
Imagination «Music And Lights» 12" Red Bus/Gira 1982
Imagination nunca eram nada de especial, mas quase sempre ficava uma faísca de qualquer coisa. Provavelmente as primeiras celebridades com que ME se cruzou na rua, casualmente (Londres, 1983, todos os 3 Imagination; a segunda celebridade: Björk, Londres outra vez, 2000). «Music And Lights» usa o mesmo padrão de «Just An Illusion», como tudo o que tem relevo nos Imagination. Beat muito lento, sexy, ok, mas apenas para puxar quando não se tem «Just An Illusion» à mão. Vocal e instrumental.
Rinder & Lewis «Seven Deadly Sins» LP AVI 1977
Em algumas partes custa a acreditar que é uma coisa de 77. «Lust» é puro génio Disco, «Envy/Animal Fire» é provocação pop (que cliché horroroso, mas passa),beat mais rápido mas tudo se aproveita. Quanto a «Anger», o AL assegura que foi daí que Carl Craig apareceu com o primeiro Tres Demented! Mesmo com um par de faixas apenas médias, «Seven Deadly Sins» fez primeiro o que muitos seguiram depois. Esta é uma reedição e aprimeira vez que prestei atenção foi cortesia HdB.




5 Comentários:

em 12:56 da tarde, Blogger dub disse...

Logic System! Fã por aqui também. Há uma remix que é ouro para mim de Reverso 68 para o Manhead que é Logic System de uma ponta à outra.

 
em 2:25 da tarde, Blogger dub disse...

Não ficou explícito mas o comentário anterior servia para reforçar a ligação Harvey-Logic System.

 
em 1:05 da manhã, Blogger ME disse...

Tenho muito para aprender, é bom saber dessas coisas : ) Por falar em Harvey, alguém se lembrou de passar o Sarcastic Mix para vinil! Mais duas semanas e...

 
em 5:15 da tarde, Blogger Electrobot disse...

Mais um daqueles discos não lá muito legais, Automan-style, deduzo...eheheh.

 
em 12:54 da manhã, Blogger ME disse...

Aparentemente, na mixtape original, o Harvey despistava os abutres com títulos falsos, e agora nesta edição em vinil é reposta a verdade com os títulos correctos.

 

Enviar um comentário

<< de volta ao início