major eléctrico


quarta-feira, maio 17, 2006
--------------------------------------------------------------------

Compras 16.05.2006

The Michael Zager Band «Let's All Chant» LP Orlador 1979
O single, há algum tempo, não tinha mostrado nada de bom a não ser um pequeno break no lado B, «Love Express». A mesma faixa, em versão LP, tem o break estendido e isso é fenomenal! O também longo break em «Soul To Soul» completa o par de motivos para ter este álbum. Este último redirecciona por completo a música, acrescenta-lhe velocidade, músculo e profundidade. O resto é Disco mais ou menos a metro e as quebras que existem são tão curtas que não dá para entusiasmar.
Chagrill's Gang «Rappers Delight» 7" Parlophone 19??
Zero referências na net, nem sequer descobri o ano deste disco (edição portuguesa), versão de «Rappers Delight» cantada - aparentemente - por brancos, musicalmente é próxima do original e até o nome do grupo é próximo de Sugarhill Gang, se dissermos as palavras depressa. A capa mostra uma disco dancer recortada numa mata onde o Sol rompe por entre as árvores. Parece ter a mesma versão de ambos os lados do single. Normal, mas estranho.
Lucio Battisti «Il Veliero» 12" RCA 1976
Battisti começou na produção cedo na década de 60, mas só em 69 se estreia como cantor no festival de San Remo. É-lhe atribuída uma revolução na pop italiana, algumas pérolas psicadélicas («Amore E Non Amore», de 71, foi reeditado em 2006 pela Water). «Il Veliero» foi um alvo favorito de re-edits e um improvável hit Disco movido por um baixo rítmico, inescapável, piano e arranjos de cordas emotivos mas não óbvios. Quase tudo se desmorona quando entra a voz, quase exactamente a meio. Começa o teste que divide a Humanidade e a primeira reacção é de repulsa. A segunda reacção também...
Jean Michel Jarre «Equinoxe» LP Polygram 1978
Mais um caso de apenas uns segundos no meio de muitos minutos. Como Vangelis, Jarre exala um certo charme de grandiloquência quando a música puramente electrónica parecia oferecer directamente o que o prog rock tinha de sugerir muito bem: Espaço e outros planetas. Jarre é mau quando faz a sua música popular, mas alguns momentos 'sérios' podem ser recortados e poupados para outros usos. Cerca de 1 minuto no lado 2 faz acreditar que o resto do álbum poderia seguir um rumo inteiramente diferente.
Steve Hillage «Open» LP Virgin 1979
Lembro-me de «Kamikaze Eyes» em 82 pelo simples motivo de que era um single electro-pop. Só muito depois soube que Hillage era dos Gong, quando apareceram os System 7 nos 90's (System 7 eram Hillage com a namorada Miquette Giraudy). «Open», sendo uma edição de 1979, não se decide entre prog e Disco. A tendência prog FM em 4 faixas do álbum é esquecível, mas depois: «Earthrise» é Oriente baleárico com grandes breaks prog, Prins Thomas aprovaria; «Open», o tema-título, introduz vocoder + a cadência Disco midtempo com tudo fácil para um re-edit (tirar um pouco de guitarra aqui e ali, apenas); «Definite Activity» é um óptimo pedaço mutant disco: palmas, coros, breve vocoder, baixo Talking Heads e, como sempre, apenas a guitarra a mais (Hillage era guitarrista).
Jeanette Lady Day «You'll Never Know» MLP Prelude/Gira 198?
O original de «Come Let Me Love You» na Prelude é de 81, esta parece ser uma edição portuguesa que junta esse single a um outro: «Body Movement». Além das versões vocais e instrumentais, são incluídas também versões vocal e instrumental para «Give It To Me». Disco a caminho de electro-funk com elementos latinos, Chic e R&B. Médio.




10 Comentários:

em 9:04 da tarde, Blogger dub disse...

Não conheço o original do Veliero pelo Lucio Battisti nem fazia a menor ideia que o tema não era da Chaplin Band - que é tema que adoro.

Tens de me mostrar isso, a sério.

 
em 11:32 da tarde, Blogger ME disse...

O tom da voz está mais cheesy, mais em cima, na versão que arranjei... É difícil... Mas em contrapartida o baixo e cordas parecem também mais proemientes, o que dá uma primeira metade incrível. O lado B é impossível, acredita, e a crer no rótulo, isto é mesmo (lado A e lado B) de 76. Pelo que sei, Chaplin Band gravaram em 82. Levo para a Flur, a ver se não me esqueço. Ze//ME

 
em 4:13 da tarde, Blogger Boiado disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
em 9:34 da tarde, Blogger ME disse...

Se não têm nada para dizer não poluam o espaço dos outros com publicidade. Isso é feio. ME

 
em 11:51 da manhã, Anonymous Anónimo disse...

Apoiado!!!

 
em 3:50 da tarde, Anonymous Anónimo disse...

muito bem!

 
em 11:28 da tarde, Anonymous O Filho de Blakula disse...

É uma tristeza paaa!xiiiiiça!vir paqui e pacolá vender peixe à descarada!
Whatiii!? No baby!FUNKULIHO TEM SEMPRE ALGO EXTREMAMENTE PERTINENTE A DIZER - QUERES VER!?
GGGGGGGGRRRRRRRRR!FOCK!COÑO!YO MEENG! DADONDE RAPINAS TU TAIS DISCOS ELECTRIC MAJOR! QUERO ISTO «The Michael Zager Band «Let's All Chant» LP Orlador 1979» É 1CASO DE VIDA OU DE MORTE!
TENHO BELÍSSIMAS PEROLAS PÁ TROCA ELECTRIC MAJOR!CUIDADO MAJOR QUE AS PEROLAS QUE O FUNKULINHO TEM PÁ TROCA- MAI NINGUEM TEM HÃÃ!
Ora isto sim é falar como um verdadeiro Português!

 
em 11:37 da tarde, Blogger ME disse...

Meu, isso é fácil de encontrar, mexe-te! Ou, em alternativa, vou-me lembrar se me aparecer outra vez à frente.

 
em 10:25 da tarde, Anonymous O Filho de Blakula disse...

It s all good!

 
em 10:37 da tarde, Anonymous Anónimo disse...

heheheh tb tenho esse Chagrill's Gang. pensava que era o único. É um disco ...estranho:)

 

Enviar um comentário

<< de volta ao início